AnnaLuciaGadelha
É acreditando nos sonhos que os fazemos acontecer. (AnnaLuciaGadelha)
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Meu Diário
26/08/2018 21h00
O Nordeste é Poesia

Imagem colhida da internete - Google Imagens

 

O NORDESTE É POESIA

Deus quando fez o mundo
Fez tudo com primazia
Formando o céu e a terra
Cobertos com fantasia
Para o Sul, deu a riqueza
Para o Planalto, a beleza
Pro Nordeste, a poesia

Como o som duma seresta
Fez tudo com harmonia:
Dos pássaros fez a orquestra
Deu à mata sinfonia
Deu ao Sul o boiadeiro,
O Norte ao aventureiro,
Ao Nordeste, a poesia

Ao juiz se dá a toga
Ao padre a freguesia
Ao bispo e ao cardeal
Dá-se a eles a prelazia
Tudo nasce ou é criado
Só o poeta é formado
Pela sua poesia

Dotou a mãe-natureza
Com tanta filosofia
Fez o sol e a lua
O sol quente e a lua fria
Para o Sul deu a fartura
Para o Centro, a agricultura
Pro Nordeste, a poesia

Ao doutor deu a ciência
Ao filosofo, a filosofia
O astrônomo estuda os astros
O profeta profecia
O poeta exalta e canta
Essa terra boa e santa
Com sua poesia

Esse mundo foi feito
Diz a santa profecia
E a natureza divina
Fez a sua primazia
O poeta com certeza
Canta assim a natureza
O Nordeste, a poesia



Patativa do Assaré




 

 


Publicado por AnnaLuciaGadelha em 26/08/2018 às 21h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
14/08/2018 14h12
Autor e Narrador – Diferenças

Autor e Narrador – Diferenças

Em várias ocasiões é comum o leitor confundir o autor do texto com o narrador, entretanto, os dois não são os mesmos. O autor é entendido como aquele que cria e escreve o texto ou a obra; já o narrador integra os elementos narrativos, sendo ele uma criação do autor com a finalidade de contar os fatos do texto. Vale ressaltar que os fatos apresentados pelo narrador não foram imaginados por ele.

Você deve estar se perguntando sobre o narrador-personagem, não é? Geralmente, ele aparece de forma ficcional com o objetivo de narrar e participar da história, assim além de “autor” do texto, também é personagem. A utilização do narrador-personagem é apenas uma estratégia literária, pois o verdadeiro autor do texto continua sendo que o escreveu, alguém que existe no “mundo real”, que possui identidade e endereço.

Na obra Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis é possível visualizar essa experiência em que o autor-defunto Brás Cubas narra a sua história. Na primeira página do livro há o seguinte trecho escrito por Machado de Assis entre 1878 e 1879, quando o autor estava vivo com então 40 anos de idade: “Ao verme que primeiro roeu as frias carnes do meu cadáver dedico como saudosa lembrança estas memórias póstumas”. Como você observou, Brás Cubas é o personagem que no texto é o autor-defunto.

Acompanhe mais um trecho do autor-defunto na página do livro intitulada “Ao leitor”:

Diferenças autor narradorQue Stendhal confessasse haver escrito um de seus livros para cem leitores, coisa é que admira e consterna. O que não admira, nem provavelmente consternará, é se este outro livro não tiver os cem leitores de Stendhal, nem cinquenta, nem vinte, e quando muito, dez. Dez? Talvez cinco. Trata-se, na verdade, de uma obra difusa, na qual eu, Brás Cubas, se adotei a forma livre de um Sterne ou de um Xavier de Maistre, não sei se lhe meti algumas rabugens de pessimismo. Pode ser. Obra de finado. Escrevi-a com a pena da galhofa e a tinta da melancolia, e não é difícil antever o que poderá sair desse conúbio. […]

ASSIS, Machado de. Memórias póstumas de Brás Cubas. São Paulo: Ática, 1973.

Por: Miriã Lira


Publicado por AnnaLuciaGadelha em 14/08/2018 às 14h12
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
11/05/2016 13h41
Saudade

Inspirada na poesia Saudade de Marilene


Publicado por AnnaLuciaGadelha em 11/05/2016 às 13h41
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
27/04/2016 19h22
Metade

Publicado por AnnaLuciaGadelha em 27/04/2016 às 19h22
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
26/02/2016 00h32
ACRÓSTICO PARA ANNA LÚCIA

A nna de bacana tem tudo
N ão lhe faltam predicados
N ão nega nunca sua amiz

A ma os amigos com qualidade...
 

L uz ela tem com brilho e fulgor
U ngida que foi pelo Deus senhor

C eleste criatura tão nossa amiga
I ndispensável é sua doce palavra

Agradável mulher flor rosa d'amor.

 

 

Obrigada de coração, meu amigo querido   - Alkas

 


Publicado por AnnaLuciaGadelha em 26/02/2016 às 00h32



Página 1 de 7 1 2 3 4 5 6 7 [próxima»]